Home Nação YOUTUBERS MIRINS

YOUTUBERS MIRINS
0

YOUTUBERS MIRINS

0

Foi-se o tempo em que as paredes de casa se tranformavam em quadros-negros gigantes, os livros da série passadas usados pelos alunos imaginários… A lista de chamada, preparação das aulas, e, até bronca existia. Muitos são os adultos que carregam na lembrança as aulas onde ele mesmo era o professor e sua imaginação se encarregava de criar
os alunos.

Um bom tanto de crianças tinha esse sonho décadas atrás. Outros sonhavam com uma realidade um tanto, dependendo do caso, distante de suas realidades médico, advogado (mesmo sem saber o que um advogado fazia), engenheiro, secretária, bailarina, bombeiro, astronauta. Crescemos e tomamos rumos profissionais bem diferentes, na maioria das vezes. Conta-se nos dedos quem conseguiu seguir a profissão da infância.

É inquestionável aos pais de hoje a perspectiva de carreira futura de seus filhos. O mundo mudou, a forma de enxergá-lo também, logo, os filhos sonham em ser famosos, prestigiados jogadores de futebol, atores, modelo e youtuber.

Se antes um médico, uma secretária denotava certo aporte financeiro e social, hoje são as celebridades que ganham notoriedade. E a banalização do ser famoso precisa causar certo desconforto nos pais.

O tempo voa, e nossos filhos têm pressa em conquistar seus sonhos. Imediatistas, querem começar um canal hoje, sonhando em ser rico e famoso, como os irmãos que compram mansões e abrem lojas de coxinhas num piscar de olhos, ou as meninas que lançam livros, clipes, linhas de produtos. Não é preciso diploma: um celular na mão e uma ideia na
cabeça bastam.

Meu filho quer ser um Youtuber mirim: Isso é bom ou ruim?
Para criar e administrar um canal no YouTube, o jovem precisa de uma certa habilidade. Embora seja um processo tranquilo, subir um vídeo demanda tempo e uma boa dose de macetes para ser visto. A quantidade infindável de truques e dicas para youtubers brota como o sonho de ser famoso. Esse interesse pelo digital, trabalha no jovem noções de processamento de dados e uma dose de marketing digital. O raciocínio lógico ferve, bem como as relações pessoais interdigitais. Um baita aprendizado que se inicia num projeto com metas e objetivos.

Pais precisam reduzir expectativas de fama
A professora e filósofa Tânia Zagury, autora dos livros “Limites sem trauma”, “Educar sem culpa” e “Os novos perigos que rondam nossos filhos”, diz que os pais precisam conversar muito com os filhos e quebrar o paradigma de que todo youtuber é famoso. “As celebridades ligadas à web são muito poucas, e os jovens têm a falsa impressão de que basta terem um canal para ficarem famosos”. Além disso, ao publicarem sua imagem na web, os jovens e crianças estão expostos a elogios, críticas, comentários maldosos, bullying, e muitas vezes eles não estão preparados para lidar com essa exposição.

Lidando com a frustração
O fracasso é um outro ponto importante a ser considerado. Uma vez que nem todas as crianças alcançarão seus milhões de acesso ou notoriedade relâmpago. A frustração pode desencadear sentimentos de rejeiçãoe até depressão dependendo da maturidade e preparo psicológico da criança. Mas é preciso que os pais entendam que os pequeninos não estão prontos para entender as conseuqencias negativas de ter um vídeo publicado e não aceito pelo público.
Lembrar que uma vez postado, o vídeo pode jamais ser apagado (basta um compartilhamento para que o conteúdo se espalhe e se perca no mundodigital).

Compulsão por consumismo
Um levantamento da pesquisadora Luciana Corrêa, do ESPM Media Lab confirmou uma tendência já apontada em estudos da Europa, que indica que quanto mais cedo a criança é inserida na plataforma, maior será o seu consumo quando for mais velha. “O consumo no Youtube será muito maior daqui a alguns anos. Está havendo uma migração da programação infantil da TV para a web”.

Fim da privacidade, facilita estranhos
Os pais precisam ter a clareza de que, na internet, uma esfera pública, eles não têm controle sobre a rede de pessoas que está se formando em torno dos seus filhos, e que, por consequência, pode acabar por influenciá-los. Quando se sai com uma criança na rua, você não permite que ela fale com todo mundo, certo? Esse cuidado deveria ser tomado na rede também. E é dever dos pais zelar pela privacidade dos seus filhos.

Comentários