Home Política TEM POLÍCIA NA POLÍTICA: BOLSONARO IMPULSIONA MILITARES À DISPUTA ELEITORAL

TEM POLÍCIA NA POLÍTICA: BOLSONARO IMPULSIONA MILITARES À DISPUTA ELEITORAL
0

TEM POLÍCIA NA POLÍTICA: BOLSONARO IMPULSIONA MILITARES À DISPUTA ELEITORAL

0

Estas eleições serão marcadas pelo número de militares que se dispuseram representar o povo brasileiro no Congresso, Assembleias e governos estaduais impulsionados pela insatisfação popular com a mesmice dos políticos tradicionais.
Policias militares, civis, federais e bombeiros, da ativa e reserva pontuam nos principais estados do país acompanhando a onda de conservadorismo e renovação liderada pelo capitão Jair Messias Bolsonaro.
No Rio de Janeiro o Nação Brasil acompanhou o Sargento Gurgel Soares desde o início de sua trajetória pela disputa eleitoral deste ano que visa uma vaga na Câmara federal.
Policial militar há mais de 15 anos, Gurgel também é advogado e como especialista em Segurança Pública realizou inúmeras palestras em espaços públicos e privados expondo suas percepções pelo combate ao crime organizado.

Pela sociedade e pela corporação
Com sólidos projetos pela melhora na segurança pública, o candidato ampara a corporação em suas atuações contra a bandidagem.
“Nós policiais vivemos as dificuldades de anos de administração pública que pouco ou nada se preocupou com as policias do país. É hora de bandido ser tratado como bandido e policial estar equipado e amparado para executar seu ofício”, afirma Gurgel.

Alinhado com Bolsonaro
Mais do que compartilhar o mesmo partido político e impressos com fotos da família Bolsonaro, Gurgel sustenta o diferencial de ser amigo de Jair e seus filhos. Alinhado com o futuro presidente do Brasil, Gurgel Soares também é aceito e apoiado pelas corporações no estado e garante que Brasília se curvará ao conservadorismo e ao combate à corrupção.

Muito além da arma e do colete
A esquerda ataca a inciativa militar na disputa eleitoral com o argumento de exclusividade de conhecimento dos candidatos a questões de segurança, mas Gurgel destaca-se pelo engajamento em diversos assuntos pertinentes aos anseios da família tradicional brasileira.
Contrário a doutrinação nas escolas, o candidato assinou petição de compromisso político-público com o Escola Sem Partido com a promessa de lutar pelo fim dos kit gays nas salas de aulas.

Ainda que não aconteça a mudança drástica para a melhora significativa do país, realista, Gurgel Soares pontua que pautas polêmicas que não conseguirem aprovação serão trabalhadas com ênfase em projetos que reduzam o caminho para aceitação.
Como no caso da redução da maioridade penal. Assunto polêmico no país e engavetado pela falta de interesse dos políticos atuais.
“Caso a pauta de redução penal, ainda que pouco provável hoje, com Jair à frente da presidência, não passe no Congresso, nós lutaremos por sufocar os criminosos que cooptam menores para o crime, por exemplo”.
De um jeito ou de outro, bandido, a partir de agora, com um número significativo de militares representando a população, não conseguirá agir livremente em nosso país.

A segurança Pública e nossos agentes tratados como prioridade resultarão em crescimento econômico, empregabilidade, agilidade nas filas de atendimento médico e redução na evasão escolar. O Brasil espera que o estado possa voltar a ser comandado pelo poder público.

Em meses de acompanhamento, o Nação Brasil, atesta a idoneidade e preparo jurídico do candidato Gurgel Soares a deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro.

Nem todo candidato militar é político
Para governabilidade de nosso futuro presidente é preciso que os eleitores estejam elegendo deputados estaduais, federais e senadores alinhados com Jair Messias Bolsonaro, não apenas pela bandeira da segurança, é hora de análise.
Muitos militares da ativa e reserva estão pegando carona na candidatura de Jair, mas destes, muitos não possuem nenhum conhecimento político e exibem discursos vagos sobre segurança e corrupção. Vários pendem pelo movimento de direita, em destaque atualmente, mas há, inclusive, candidatos militares que se lançaram por partidos de esquerda.

Comentários