Home Brasil SHOPPING SE RENDE A COMUNIDADE LGBT E REPREENDE SEGURANÇAS QUE IMPEDIRAM TRANS DE USAR BANHEIRO FEMININO

SHOPPING SE RENDE A COMUNIDADE LGBT E REPREENDE SEGURANÇAS QUE IMPEDIRAM TRANS DE USAR BANHEIRO FEMININO
0

SHOPPING SE RENDE A COMUNIDADE LGBT E REPREENDE SEGURANÇAS QUE IMPEDIRAM TRANS DE USAR BANHEIRO FEMININO

0

Decepcionante ver uma instituição -seja ela pública ou privada – se dobrar para a imposição da ideologia de gênero e a comunidade LGBTIYWZQX.

Dois seguranças – segundo o shopping ItaúPower – em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte – irão passar por treinamento para ‘acolherem a diversidade’.
Eles impediram que dois transsexuais utilizassem o banheiro feminino

As amigas Tháylla Castanha, de 28 anos, e Giselle Rodrigues, de 32, saíam do cinema na noite e decidiram usar o banheiro feminino. Tháylla – registrou a abordagem em um vídeo, onde claramente mostra sua preocupação em aparecer bem diante da câmera, que foi compartilhado nas redes sociais.

A declaração da transsexual de que ‘não esperava tanta repercussão (o vídeo foi assistido mais de 30 mil vezes) é a repetição de mais do mesmo quando se tenta fingir uma reação inesperada de quando não se tem dimensão do tamanho do fato.

A PM foi acionada e a ocorrência foi registrada no início da madrugada de terça-feira (3). No documento, consta que as duas se sentiram constrangidas e que foram chamadas de homens pelos seguranças.

E assim eles seguem… batem o pé na porta e esperam que toda a sociedade se curve diante de seus próprios e impositivos desejos.
Mães e mulheres estavam constrangidas em dividir o banheiro com homens que se identificam, vestem e se maquiam como mulher, mas sem as peças íntimas possuem genitália masculina.

Atender a diversidade é criar, exclusivamente, um banheiro que atenda os trans. Que a sociedade se posicione contrária a esta imposição em toda e qualquer situação que as venha constranger.

Comentários