Home Brasil PRESIDENTE PROMETE FIM DE PUNIÇÃO PARA DONO DE TERRA QUE DEFENDER SUA PROPRIEDADE À BALA

PRESIDENTE PROMETE FIM DE PUNIÇÃO PARA DONO DE TERRA QUE DEFENDER SUA PROPRIEDADE À BALA
0

PRESIDENTE PROMETE FIM DE PUNIÇÃO PARA DONO DE TERRA QUE DEFENDER SUA PROPRIEDADE À BALA

0

Presidente promete fechar cerco contra invasores de terra e propriedade

 

Não adianta, quem nasceu pra combater bandido nunca vai passar a mão na cabeça de meliante.
Em mais uma firme demostração de político de palavra compromissado com o cidadão de bem, o capitão da nação Jair Bolsonaro voltou a defender a isenção de punição ao proprietário rural que ferir um invasor. A declaração foi dada durante a abertura da Agrishow, feira de tecnologia para o campo, que acontece até sexta-feira (3), em Ribeirão Preto (SP).

“Será encaminhado um projeto nosso à Câmara, vai dar o que falar, mas é uma maneira que nós temos de ajudar a combater a violência no campo, é fazer com que ao defender a sua propriedade privada ou a sua vida, o cidadão de bem entre no excludente de licitude. Ou seja, ele responde, mas não tem punição. É a forma que nós temos que proceder para que o outro lado, que teima em desrespeitar a lei, tema vocês, tema o cidadão de bem, e não o contrário.”
Durante o discurso, Bolsonaro afirmou a verdae inquestionável de que “a propriedade privada é sagrada e ponto final”. Ele citou que esteve reunido no domingo (28) com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e que, na próxima semana, será colocada em pauta a discussão de um projeto de lei para permitir ao produtor rural utilizar armas em todo o perímetro da propriedade.

O chefe do Executivo federal voltou a defender uma “segurança jurídica no campo”. Segundo ele, a reforma agrária não terá “viés ideológico” no governo dele.

E a esquerda e os perseguidores do governo nem vão mencionar o arsenal que possui o exército petista travestido de MST. Também não vão fazer nenhum levantamento dos hectares de terras produtivas e registradas invadidas por bandidos que de plantação e agronegócio não entendem nada.
Sigamos o plano e nos armemos para não sermos abatidos sem direito à defesa.

Comentários
-- Jornal Nação --