Home Educação Por que milhares de professores não voltaram às escolas após as férias na Turquia

Por que milhares de professores não voltaram às escolas após as férias na Turquia

Por que milhares de professores não voltaram às escolas após as férias na Turquia

0

Escolas na Turquia reabriram suas portas pela primeira vez desde a fracassada tentativa de golpe contra o governo do presidente Recep Tayyip Erdogan, em julho.
Cerca de 18 milhões de alunos voltaram às salas de aula nesta semana.
Após a revolta, dezenas de milhares de juízes, funcionários públicos, professores e soldados foram suspensos, demitidos ou presos. No sistema educacional, as consequências das punições ficaram evidentes esta semana, com o fim das férias de verão na Turquia.
Huseyin Ozev, presidente do sindicato dos professores Istambul, disse à agência de notícias AFP que teme que o “caos” se instale no sistema por causa da falta de professores. A entidade assegura que 1 milhão de estudantes foram afetados pela falta de professores em todo o país.
O governo turco, por sua vez, tenta minimizar o impacto das punições contra professores.
Limpeza’
Após a tentativa de golpe, Erdogan prometeu “limpar todas as instituições do Estado”. O presidente turco tem encarado a reforma do sistema de ensino, em especial, como “missão pessoal”.
Era sabido que o movimento liderado por Gülen, que nega as acusações de envolvimento com a tentativa de golpe, tem estreitas ligações com o sistema de ensino e conta com amplo apoio e endosso de professores, diretores e reitores de escolas e universidades do país.
Cerca de 75% dos professores demitidos são acusados ​​de serem seguidores de Gülen. Mais de 1 mil escolas ligadas ao movimento foram fechadas e seus alunos absorvidos por outras instituições de ensino.

Comentários