Home Política PARTIDO MOBILIZA MILITANTES EM PROL DO COMUNISMO NO BRASIL

PARTIDO MOBILIZA MILITANTES EM PROL DO COMUNISMO NO BRASIL
0

PARTIDO MOBILIZA MILITANTES EM PROL DO COMUNISMO NO BRASIL

0

Por Nany Gomes

Sempre foi importante, mas desde que o conservadorismo venceu – democraticamente -as eleições no Brasil provando que a maioria dos brasileiros além de patriota é defensor da família e dos valores, defender nosso posicionamento vai muito além de vestir verde e amarelo pelas ruas do nosso país. É estar atento às movimentações dos inimigos da nação que lutam em prol da liberdade do ladrão condenado Lula e da instalação do caos no Brasil.

Enquanto a direita tenta se organizar em seu melhor momento político, os esquerdacomunista seguem ritmados pela destruição da democracia e manutenção dos corruptos no poder. Prova disso é a mobilização que o PCO – Partido das Causas Operárias- promove pela liberdade do maior corrupto que já esteve à frente do Brasil e contra quem tentar validar a doença destrutiva que o comunismo é para qualquer nação.

Um projeto elaborado pelo deputado federal Julian Lemos (PSL-PB) que visa proibir o comunismo no Brasil equiparando-o como a prática mortal do nazismo têm sido a bandeira dos comunistas para ataques contra o parlamentar.

Lemos comparou os militantes da corrente de esquerda aos nazistas. “Um não matou mais do que o outro”, ressaltou, ao justificar que se o nazismo é proibido, o comunismo precisa ser também.

O conteúdo do texto prometido pelo deputado é similar a outro já em tramitação na Câmara dos Deputados, apresentado pelo também deputado do PSL Eduardo Bolsonaro (SP). O texto do parlamentar eleito por São Paulo fala em alterar a Lei Antirracismo para incluir entre os crimes ali previstos o de “fomento ao embate de classes sociais”. A pena prevista é reclusão de um a três anos e multa.

“Os adeptos dessa ideologia (comunismo) estão dispostos a tudo e já perpetraram toda a sorte de barbáries contra agentes do Estado que objetivaram neutralizar sua ‘causa’. Onde for possível repetem, incansavelmente, mantras que distorcem a realidade da história e manipulam o inconsciente coletivo vendendo a ideia da perfeição do comunismo e a satanização de tudo que a ele se contraponha”, argumenta o parlamentar.

Lemos exemplifica que outros países do mundo já adotaram a proibição do uso de símbolos e da ideologia do comunismo. Ele cita Polônia, Ucrânia, Lituânia, Geórgia e Moldávia como exemplos.

O deputado federal ainda afirma que a democracia brasileira permitiu que o comunismo se estabelecesse formalmente. Para ele, a eleição de Dilma Rousseff pelo PT, foi o ponto alto do comunismo no Brasil.

Em defesa do comunismo, a página noticiosa do partido – Diário causa operária, publicou o seguinte grito:
“Ambos os casos trazem à tona a importância da questão da liberdade de expressão. A esquerda apoiou a censura, ao criar ou respaldar leis que visavam punir o discurso nazista ou racista da direita. Agora, se utilizando do mesmo expediente e das mesmas intenções de silenciar o contraditório, a direita procura proibir o comunismo e a apologia a ele, criando uma justificativa legal para impedir a esquerda de se manifestar. Porém, a direita possui o apoio da burguesia e, principalmente com o aprofundamento do golpe de Estado, maior força e controle do aparato estatal para impor a sua política, portanto quem sairá perdendo com essa apologia à censura será a esquerda.

Por conta disso, a política correta a ser defendida é a da liberdade de expressão total e irrestrita: a direita está livre para falar o que quiser, por mais atrasadas e selvagens que sejam as suas posições; e a esquerda também está livre para se expressar, defender a sua política e sua luta em seus discursos.”
Fonte: Diário causa operária

 

Para a esquerda qualquer movimentação do conservadorismo contra a ideologia de gênero, o comunismo e suas ramificações são interpretadas como censura e ferida a liberdade de expressão. Para o mesmo discurso, governo e  conservadores precisam rebater com diferentes, verídicos e sólidos argumentos. Ainda que cansativo, repetiremos tantas quantas forem as vezes necessárias que a bandeira do Brasil jamais será vermelha!!!

 

Comentários
-- Jornal Nação --