Home Sociedade PAIS PODEM SER PRESOS SE CONTRARIAREM FILHOS QUE DECIDIRAM SER TRANGÊNEROS

PAIS PODEM SER PRESOS SE CONTRARIAREM FILHOS QUE DECIDIRAM SER TRANGÊNEROS
0

PAIS PODEM SER PRESOS SE CONTRARIAREM FILHOS QUE DECIDIRAM SER TRANGÊNEROS

0

Pelo mundo afora, o estado impõem-se como patrono de filhos alheios, desautorizando e penalizando pais que educam seus filhos de acordo com seus princípios e valores.
Em mais uma manobra suja da ideologia de gênero, a Suprema Corte da Colúmbia Britânica decidiu recentemente que pais que se recusam a usar os pronomes de gênero “corretos” escolhidos por seus filhos “transgêneros” serão considerados culpados de cometer “violência familiar”.

A juíza Francesca Marzari emitiu uma ordem oficial de proteção para esse fim, afirmando que um pai a quem os tribunais estão se referindo como “Clark” para sua privacidade e proteção estará sujeito a prisão imediata se ele de alguma forma tentar “persuadir” sua biológica filha “Maxine” a “abandonar o tratamento para disforia de gênero”. “Clark” também será preso se ele se refere a “Maxine”, quer pelo nome de nascimento, ou “como uma menina ou com pronomes femininos”, quer “diretamente ou a terceiros.”

Ou seja, crianças estarão autorizadas a dar ordem a seus pais e possibilitadas de os denunciarem quando se sentirem contrariadas. O governo canadense agora tem mais autoridade sobre as crianças do que seus próprios responsáveis.

Sem mandato judicial
A interrupção da autoridade parental do governo é tamanha que para lera um pai ou mãe para a cadeia não será nem mesmo necessário uma ordem judicial. A decisão da juíza francesa Marzari possibilita que qualquer autoridade policial decrete a prisão imediata ao afirmar “que tem motivos razoáveis e prováveis” de defesa da criança.

Inconformado, o pai revelou para a imprensa a decisão judicial de aplicar injeções de hormônios na filha. Ao falar com o site The Federalist, “Clark” explicou como as injeções de hormônios que sua filha “Maxine” foi encorajada a tomar pelo Dr. Brenden Hursh do BC Children’s Hospital “irão interromper completamente sua puberdade”.

“Seus ossos vão parar de crescer, seu cérebro vai parar de se desenvolver… e ela não vai ser um menino”, afirmou ainda, acrescentando que, quando tudo estiver dito e feito, “ela não vai nem ter a força do osso para ser uma garota mais.

É uma situação verdadeiramente covarde para “Clark”, que está sendo forçado sob ameaça de perseguição a basicamente ver a vida de sua filha ser destruída bem diante de seus olhos.

“O governo assumiu meus direitos parentais”, lamenta. “Eles estão usando [Maxine] como se ela fosse uma cobaia em um experimento… O Hospital Infantil da BC vai estar lá em cinco anos quando ela rejeitar [sua identidade masculina]? Não, eles não vão. Eles não se importam. Eles querem números.”

Comentários
-- Jornal Nação --