Home Sociedade PADRASTO QUE ESTUPROU ENTEADA COLOCOU A CULPA NO CAPETA QUE INCORPORAVA NELE

PADRASTO QUE ESTUPROU ENTEADA COLOCOU A CULPA NO CAPETA QUE INCORPORAVA NELE
0

PADRASTO QUE ESTUPROU ENTEADA COLOCOU A CULPA NO CAPETA QUE INCORPORAVA NELE

0

A mãe da menina, menor de idade, era quem a acordava de madrugada para ser violentada com uso de muita força

O mundo espiritual, até para quem não acredita, está aborrecido por ser citado em tantos casos de violência entre os vivos.
Um homem preso por estuprar a enteada durante dois anos alegou em depoimento que a culpa é do capeta que usava seu copro para incorporação.

As afirmações são de policias da 30ª DP (Marechal Hermes) que efetuaram a prisão.Segundo o delegado responsável pelo caso, Alan Luxardo, o agressor, que praticava os abusos de forma contínua e por meio da força, utilizou como pretexto estar incorporado por uma entidade. Em depoimento, Fabio Vianna Garcia relatou que não poderia confirmar se algo aconteceu, segundo o investigador.

“Ele confirmou que recebia a entidade, mas que não podia dizer se ela praticou alguma coisa e que ‘se houve’, segundo o agressor, teria sido a entidade e não ele”, explicou Alan Luxardo. Além de Fabio, Andreia dos Santos do Espírito Santo foi presa preventivamente pelo crime de estupro na comunidade da Palmeirinha, em Honório Gurgel, Zona Norte do Rio. De acordo com a Polícia Civil, Fabio acordava no meio da noite e, sob o argumento de estar incorporado com a entidade denominada ‘Zé Pelintra’, pedia à esposa, Andreia, que chamasse a filha dela para que a entidade pudesse ter relações sexuais com ela.

A jovem, hoje com 17 anos, foi salva pela mãe do namorado que encontrou conversas sobre o caso e chamou a jovem para conversar. Segundo o delegado, ela instruiu a menor de idade a contar o caso para o pai biológico, que prestou queixa na delegacia no final do ano passado. Ainda de acordo com a Polícia Civil, o padrasto da vítima tem antecedentes criminais pelo crime de roubo qualificado. Eles foram presos preventivamente pelo crime de estupro de vulnerável.

Comentários
-- Jornal Nação --