Home Política O DESCUMPRIDOR DE PROMESSAS: Cassado pelo TSE desde 2017, Pezão se mantém no poder graças aos recursos que político criminosos goza no Brasil

O DESCUMPRIDOR DE PROMESSAS: Cassado pelo TSE desde 2017, Pezão se mantém no poder graças aos recursos que político criminosos goza no Brasil
0

O DESCUMPRIDOR DE PROMESSAS: Cassado pelo TSE desde 2017, Pezão se mantém no poder graças aos recursos que político criminosos goza no Brasil

0

Cassado pelo TSE desde 2017 por abuso de poder econômico e político, Pezão e Dornelles se mantém no poder graças aos recursos infinitos que o criminoso político goza no Brasil

 

Pior que a incapacidade técnica, administrativa e idoneidade política é ver o eleitorado anestesiado quanto aos recursos infinitos que encobrem os péssimos políticos que cumprem seus mandatos como se nenhuma acusação ou mesmo condenação pairasse sobre eles.
O estado do Rio de Janeiro afunda com apatia do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que foi cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral e segue à frente do estado sem nada a realizar e ganhando todos os benefícios garantidos pagos pelo contribuinte.
Ele chega ao seu último ano de mandato sem cumprir a maioria das principais promessas feitas na eleição de 2014. Levantamento do Aos Fatos a partir de dez das mais importantes medidas de seu programa de governo registrado no Tribunal Superior Eleitoral mostra que seis delas não saíram do papel. O governo do Estado atribui à crise financeira o não cumprimento das promessas.

NÃO CUMPRIU: A principal promessa de Luiz Fernando Pezão na área da segurança pública, o fortalecimento e a ampliação das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) não se concretizou. A última das 38 UPPs foi inaugurada na Vila Kennedy, na zona oeste do Rio, em 23 de maio de 2014 –cerca de cinco meses antes da sua eleição. Desde então, não foram criadas novas unidades do programa, que completará uma década este ano.

NÃO CUMPRIU: Não saiu do papel a promessa de Pezão para construir duas Unidades Ambulatoriais Especializadas para complementar o atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento, as UPAs. Os recursos destinados à atenção básica também foram reduzidos drasticamente entre 2015 e 2017, evidenciando a crise na saúde estadual.

NÃO CUMPRIU: Ao contrário da prometida expansão descrita no programa de governo, o Bilhete Único encolheu no governo de Luiz Fernando Pezão e, por pouco, não deixou de existir. A Secretaria de Estado de Transportes reconhece que não foi possível ampliar a abrangência do sistema para além dos 20 municípios já integrados ao benefício e culpou a crise financeira enfrentada pelo governo.
NÃO CUMPRIU: A série de intervenções previstas na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento nas comunidades era carro-chefe da parceria entre Luiz Fernando Pezão e a ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Mas o plano de macrodrenagem nas redes de esgoto e água da Rocinha, além de obras em áreas de risco e construção de unidades habitacionais, foi abandonado tão logo o peemedebista e a petista venceram as eleições de 2014.

NÃO CUMPRIU: A crise financeira do Estado fez com que a promessa de expansão da rede de bibliotecas-parque tomasse o caminho inverso no governo Pezão. Em dezembro de 2016, a IDG, organização social responsável por manter a rede de bibliotecas, desistiu da empreitada por falta de repasses do governo estadual e três unidades foram fechadas: Centro, Manguinhos e Rocinha. A biblioteca de Niterói seguiu em funcionamento pois, em julho daquele ano, sua administração havia sido assumida pela prefeitura da cidade.

NÃO CUMPRIU: Não foi adiante a promessa do então candidato Luiz Fernando Pezão de criar novos Centros de Cidadania destinados a lésbicas, gays, bissexuais e transexuais. Hoje, de acordo com a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos, estão funcionando normalmente os quatro centros de referência, que ficam na capital, em Niterói, em Duque de Caxias e em Nova Friburgo. Não há, no entanto, previsão para abertura de novas unidades, de acordo com o órgão.

Comentários