Home Política ministro de temer ser a favor do caixa 2

ministro de temer ser a favor do caixa 2

ministro de temer ser a favor do caixa 2

0

O ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima disse, nesta terça-feira, que é a favor da medida que anistia a prática do caixa 2. Responsável pela articulação política do Palácio do Planalto, ele disse que “pessoalmente” pensa que quem cometeu o ato não deve ser punido, de acordo com “O Estado de S. Paulo”.

A pauta provocou revolta na Câmara dos Deputados na noite da última segunda-feira e acabou ficando sem votação após forte reação da oposição. O entendimento é que se houver a criminalização do caixa 2 a partir de agora, a lei não pode retroagir em desfavor dos já acusados pela prática. Desta forma, todas as ações de caixa 2 praticadas antes da lei entrar em vigor estariam automaticamente anistiadas.
“Não quero impedir outros assuntos de serem analisados na sessão, mas quero atrapalhar essa história de anistia de caixa 2, que é crime”, criticou o deputado Miro Teixeira (Rede-RJ) durante a sessão de segunda-feira. “Não é tolerável propor uma medida como essa sem nenhuma discussão. Isso é desrespeitar os deputados.”
Geddel já havia provocado polêmica no início deste mês ao responder uma internauta no Twitter quando esta pediu que ele explicasse como “era a sensação de assumir um cargo do Executivo sem voto popular”. Na ocasião, o ministro afirmou que a sensação era “gostosa”.

A declaração repercutiu e gerou críticas na rede social. “Aqui na Bahia você não tem mais voto”, destacou um dos internautas. “E assim perdeu a vergonha na cara e o eleitorado”, reforçou outro usuário. “Os caras não têm limite mesmo”, se indignou mais um.

Além disso, um dos internautas foi bloqueado e impedido de seguir a conta de Geddel no Twitter, após questionar: “Vergonha na cara é o que passa longe do senhor?”. O ministro respondeu que iria bloqueá-lo “exatamente por ter [vergonha na cara]”. “Tchau, querido”, ironizou.

 

TEMER DESAUTORIZA FALA DE MINISTRO

O presidente Michel Temer disse nesta quarta-feira que foi “supreendente” a declaração de seu articulador político, Geddel Vieira Lima, em favor da proposta que anistia a prática de caixa dois em campanhas eleitorais. “Pessoalmente eu acho que não é bom, mas vou chegar lá, quero esclarecer isso”, declarou Temer em entrevista coletiva em Nova York.

Segundo ele, a posição de Geddel é “personalíssima” e não reflete a posição do governo. “Eu pessoalmente acho que isso é matéria do Congresso Nacional, mas não vejo razão para prosseguir ou prosperar nesta matéria”, ressaltou.

Mas o presidente não quis discutir a orientação que dará à sua base na votação do assunto no Congresso Nacional. Temer ressaltou que não pretende interferir na atuação do Legislativo.

Comentários
-- Jornal Nação --