Home Política “Luladolatria” é sinônimo de irracional bestialidade – Defensores do petista provocam show de horrores em Porto Alegre

“Luladolatria” é sinônimo de irracional bestialidade – Defensores do petista provocam show de horrores em Porto Alegre
0

“Luladolatria” é sinônimo de irracional bestialidade – Defensores do petista provocam show de horrores em Porto Alegre

0

A manifestação é política, mas para chocar o mundo o viés é religioso. E cristão!
Defensores do PT e escudeiros irracionais do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), usaram a imagem da cruz de Jesus Cristo para protestar contra a condenação do petista afirmando que tudo não se passa de uma grande injustiça já que para os ‘lulistas’ não existe provas contra o político.

Esclarecendo os fatos
O julgamento na segunda instância acontece oito meses depois da decisão do juiz federal Sérgio Moro, que condenou o petista a nove anos e meio de prisão, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. O MPF acusa Lula de receber propina da construtora OAS por meio de um apartamento tríplex no Guarujá (SP).

O que os três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) se reuniram na manhã desta quarta-feira para decidir é se mantêm ou não a sentença do juiz Sérgio Moro contra o ex-presidente e ex-metalúrgico já terá completado mais de seis meses em campanha aberta, vestindo o figurino de candidato presidencial para 2018.

Panorama político
Segundo pesquisa DataFolha, Lula lidera as pesquisas de intenção de voto até o momento, o que faz com que o julgamento em Porto Alegre extrapole o aspecto jurídico e tenha implicações políticas consideráveis. No último levantamento do Instituto, divulgado no começo de dezembro, Lula tinha entre 34% e 37% das intenções de voto, a depender dos opositores testados.

Uma eventual condenação no TRF-4 pode tirar o petista da disputa. Se condenado, Lula pode sofrer os efeitos da Lei da Ficha Limpa e, em tese, ficar inelegível. Ironicamente, foi o próprio Lula quem sancionou a lei em 2010.

Sem cadeia
Mesmo em caso de condenação é improvável que Lula, após o julgamento, vá para a cadeia. O TRF-4 disse, por meio da assessoria de imprensa, que um eventual mandado de prisão só será emitido depois que todos os recursos possíveis no próprio tribunal forem julgados, o que demoraria pelo menos um mês. E mesmo depois de decididos os recursos, a prisão não é certa.
Hoje, o Supremo Tribunal Federal entende que o réu pode começar a cumprir a sentença após ser condenado pela 2ª Instância, e não que a prisão é obrigatória.

O ex-presidente nega ter cometido qualquer crime.

Comentários