Home Política INTERINO À FRENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS QUER PIORAR CIRCO DO BRASIL

INTERINO À FRENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS QUER PIORAR CIRCO DO BRASIL
0

INTERINO À FRENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS QUER PIORAR CIRCO DO BRASIL

0

Parafraseando o dito popular, ‘quando o rato sai os fungos fazem a festa’ o segundo-vice-presidente André Fufuca assume a Câmara dos Deputados e defende votação da reforma política à revelia.

Com Michel Temer na China, Rodrigo Maia assume a Presidência da República, mas caberia aso primeiro-vice-presidente da Câmara Fábio ramalho (PMDB-MG), assumir a Casa, mas o peemedebista viajará com Temer. Por isso, Fufuca, o segundo-vice-presidente da Câmara assume a função interinamente nos próximos dias.

Pé na porta
Que podem ser marcados por dias de trevas, já que o rapaz (ele tem apenas 28 anos e está no primeiro mandato) afirmou em entrevista que têm planso de votar a reforma política mesmo sem consenso entre partidos sobre o novo sistema eleitoral.

Mudanças já para 2018
Para que as mudanças eleitorais em discussão (como a adoção de um novo sistema eleitoral e a criação de um fundo eleitoral) possam valer nas eleições de 2018, terão de ser aprovadas em dois turnos na Câmara e no Senado até o início de outubro.

A votação da reforma começou na semana passada, mas foi adiada porque não há consenso entre os partidos sobre o tema. Na avaliação de Fufuca, porém, esperar um eventual acordo pode demorar muito.

“Se a gente for contar daqui para o dia 30 de setembro, vai ter quantos dias úteis para ter duas votações na Câmara e no Senado? Tem que ter celeridade. Tem que ter uma definição. Bota para votar, passa ou não passa”, declarou Fufuca.

Fufuca disse, também, que respeitará o que a maioria dos líderes partidários decidir. Está prevista uma reunião para esta terça na qual deverá ser definida a pauta de votações do plenário para esta semana.

“Eu sou favorável que nós coloquemos [a reforma política] para votação. Mas essa é uma questão pessoal minha: colocamos para votação. Porém, se não houver um acordo, um consenso [sobre colocar na pauta], vou respeitar a maioria”, afirmou.

Para Fufuca, a proposta que trata da mudança de sistema eleitoral e prevê a criação do fundo “está muito distante de acordo”.

Comentários