Home Brasil Governo age para garantir segurança de moradores do Minha Casa, Minha Vida no Rio

Governo age para garantir segurança de moradores do Minha Casa, Minha Vida no Rio

Governo age para garantir segurança de moradores do Minha Casa, Minha Vida no Rio

0

Os próximos empreendimentos do programa Minha Casa Minha Vida, em todo o país, terão que passar por uma análise criteriosa da Secretaria de Segurança Pública local para serem aprovados e construídos. Um estudo será feito para verificar se os locais destinados aos imóveis têm estruturas de segurança pública, como delegacias e efetivos policiais suficientes na região. Segundo a assessoria do Ministério da Justiça, na próxima semana, o ministro José Eduardo Cardozo vem ao Rio para finalizar os detalhes das ações de segurança desses empreendimentos, depois que uma série de incidentes envolvendo homens armados e tráfico de drogas em condomínios do programa na cidade.

Na semana passada, moradores do Conjunto Residencial Radialista Haroldo de Andrade, em Barros Filho, zona norte, inaugurado em 2014, denunciaram à Polícia que traficantes de favelas vizinhas expulsaram moradores dos apartamentos e vendiam drogas dentro do condomínio. No início do mês, 40 famílias do residencial Guadalupe, zona norte do Rio de Janeiro, informaram à Secretaria Municipal de Habitação ter deixado os imóveis devido à presença de homens armados e venda de drogas. Antes da conclusão das obras, no ano passado, famílias da favela vizinha ao condomínio invadiram os apartamentos. A Polícia Militar desocupou o local dias depois.

De acordo com a Polícia Civil, a 39ª DP (Pavuna) apura o tráfico de drogas na região e as investigações correm sob sigilo. A Polícia Militar informou que o patrulhamento nas localidades está intensificado e destacou a importância de ser feito o registro de ocorrência na delegacia para ajudar no policiamento. Denúncias sobre localização de criminosos, armas e drogas podem ser feitas também pelo 190 e pelo Disque-Denúncia (2253-1177), com anonimato garantido.

Mais de 66 mil unidades habitacionais no Rio de Janeiro foram contratadas na Caixa Econômica Federal. O programa tem como meta a construção de moradias para famílias que ganham até R$ 5 mil, com prioridade para os que ganham até R$ 1,6 mil – faixa que concentra 90,9% do déficit habitacional.

Comentários
-- Jornal Nação --