Home Educação NÃO ADIE O SONHO DA FACULDADE: FINANCIAMENTOS ALÉM DO FIES

NÃO ADIE O SONHO DA FACULDADE: FINANCIAMENTOS ALÉM DO FIES
0

NÃO ADIE O SONHO DA FACULDADE: FINANCIAMENTOS ALÉM DO FIES

0

Financiamentos privados são opções para pagar graduação para quem não consegui através do programa federal

 

A negativa quanto ao crédito de financiamento estudantil (Fies) pode ser um banho de água fria para muitos que sonham ingressar no ensino superior para alcançar sua formação acadêmica. Mas ainda há como garantir o diploma mesmo não sendo através do programa governamental.
O mercado oferece alternativas, mas é preciso cuidado e pesquisa quanto aos juros praticados em cada situação.

Pro Valer
Depois do Fies, que é mantido pelo Ministério da Educação e possui a menor taxa de juros no segmento, o Pra Valer é um dos programas mais utilizados no país. Gerido pela empresa Ideal Invest, o financiamento já conta com cerca de 2,5 milhões de estudantes em todo Brasil – 15 mil em Minas – e tem parcerias com mais de 200 instituições de ensino no país.
Os juros cobrados pelo Pra Valer variam entre 0% e 2,19%, dependendo de quanto é subsidiado pela instituição de ensino. Nos casos em que a faculdade banca integralmente os juros, o aluno paga juro zero.

Fundacred
Outra possibilidade é a Fundacred, que oferece crédito à taxa média de juros de 0,35% ao mês (4,2% ao ano) e tem parcerias com cerca de 90 instituições particulares de ensino pelo país. No programa, a instituição de ensino conveniada deixa de receber uma parte do valor da mensalidade que o estudante pagará, com as devidas correções e a taxa administrativa da Fundacred, assim que concluir seu curso.

Bancos comerciais
Há ainda a possibilidade de adquirir crédito estudantil por intermédio dos bancos comerciais. O Bradesco, por exemplo, possui linhas para correntistas que estejam vinculados a universidades conveniadas com o banco. O aluno pode financiar até 100% dos custos de cada semestre, sendo que os juros variam de acordo com o convênio firmado entre o banco e a instituição de ensino. No entanto, o patamar mínimo é de 1,20% ao mês.

Cuidados
Em termos práticos, os financiamentos de caráter estudantil oferecidos pelos bancos ou outras empresas do setor são, basicamente, um empréstimo que o estudante terá que quitar depois de formado. Portanto, se os juros forem altos demais qualquer descuido pode causar grandes descontroles financeiros.

Especialistas explicam que, antes de adquirir qualquer tipo de financiamento, é importante tentar bolsa com a própria faculdade, cogitar uma parceria com a empresa que trabalha para que ela pague parte dos custos ou, ainda, cortar despesas consideradas supérfluas para aliviar o orçamento.

Comentários