Home Economia Férias frustradas, preços para diversão reduzem passeios

Férias frustradas, preços para diversão reduzem passeios
0

Férias frustradas, preços para diversão reduzem passeios

0

No mês das férias, muitos pais deixam para descansar do trabalho junto com os filhos para curtir um pouco com a garotada. Mas com o aumento nos preços de produtos e serviços mais procurados no mês de julho, muitos responsáveis, no momento da avaliação dos gastos, se dão conta que o dinheiro extra para o descanso não é suficiente
para programações variadas em família.
De acordo com o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da FGV (IBRE), os preços de produtos e serviços mais procurados no mês de férias avançaram 4,78% entre julho de 2016 e junho de 2017, ficando acima da inflação acumulada no mesmo intervalo de tempo (3,44%).
O levantamento, realizado por André Braz, economista e coordenador do IPC do FGV IBRE, mostra que a maioria dos itens destacados ficou mais cara em relação ao ano passado, tais como o milho de pipoca (14,96%), o bolo pronto (13,51%) e o pão de forma (11,21%). Há os que subiram ainda mais, como passagens aéreas (15,44%), teatro (14,85%) e show musical (12,07%).
O famoso cinema + pipoca deixou de ser um programa acessível para famílias acima de dois filhos, e até os que possuem filho único com planejamento para assistir mais de um título por fim de
semana, tornou-se inviável.

Alimentação fora de casa
lidera ranking de cortes

Pensando em economizar para as férias e reduzir gastos no orçamento diário, uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional e Dirigentes Lojistas (CNDL) revelou que 80% dos brasileiros tiveram de fazer cortes no orçamento ao longo do 1º semestre deste ano para lidar com os efeitos da crise na comparação com mesmo período de 2016.
O principal item cortado foi a alimentação fora de casa, citado por 6 em cada 10 (57%) dos entrevistados. Em seguida vêm a compra de roupas, calçados e assessórios (55%), idas a bares e restaurantes (53%), gastos com lazer e cultura, como cinema e teatro (51%), viagens (51%), idas a salões de beleza (50%) e a compra de itens supérfluos nos supermercados (50%).

Momentos em casa junto à família podem ser mais baratos e mais proveitosos. Investimento de sucesso é gastar pouco, se divertir muito e unir ainda mais a família.

Comentários