Home Mundo ERUPÇÃO DO SUPERVULCÃO YELLOWSTONE É MAIS AMEAÇADORA PARA A TERRA DO QUE QUALQUER ASTERÓIDE

ERUPÇÃO DO SUPERVULCÃO YELLOWSTONE É MAIS AMEAÇADORA PARA A TERRA DO QUE QUALQUER ASTERÓIDE
0

ERUPÇÃO DO SUPERVULCÃO YELLOWSTONE É MAIS AMEAÇADORA PARA A TERRA DO QUE QUALQUER ASTERÓIDE

0

A análise de uma rocha derretida dentro do supervulcão do Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos, revelou que uma erupção é mais provável do que se imaginava e pode acontecer sem qualquer gatilho externo. Os supervulcões são centenas de vezes mais poderosos do que os convencionais e, ao lado dos asteroides, representam a maior ameaça para a humanidade.

Cientistas acreditavam até o momento que uma erupção só poderia acontecer após um terremoto que quebrasse a crosta da Terra, permitindo que o magma escapasse. No entanto, de acordo com estudo publicado na revista “Nature Geoscience“, a erupção pode ser resultado apenas do acúmulo de pressão dentro do vulcão.

No passado, supervulcões e asteroides foram responsáveis por extinções em massa e mudanças de longo e curto prazo no clima. A erupção de um supervulcão pode causar um evento chamado “inverno vulcânico”, que resfria a Terra devido ao bloqueio da luz do sol pelas cinzas.

Acredita-se que a última erupção supervulcânica aconteceu cerca de 70 mil anos atrás, no local que hoje se encontra o Lago Toba, em Sumatra, Indonésia. As suas cinzas bloquearam o sol entre seis e oito anos, o que causou um período de resfriamento global que durou cerca de mil anos.
A última vez que o vulcão de Yellowstone entrou em erupção foi cerca de 600 mil anos atrás, lançando na atmosfera mais de mil quilômetros de cinzas e lava – cerca de 100 vezes mais do que a erupção do Monte Pinatubo, nas Filipinas, em 1991, que causou um resfriamento global de 0,4º C por vários meses.

Segundo previsão dos cientistas, uma erupção supervulcânica baixaria as temperaturas médias globais em cerca de 10º C durante uma década, o que levaria a uma mudança no modo de vida na Terra.

As chances de um supervulcão entrar em erupção em um futuro próximo ainda são muito pequenas – mas as forças que controlam estes eventos tão raros podem se mover mais rapidamente do que imaginávamos.

Comentários