Home Mundo Coreia do Norte E EUA em exibição nuclear

Coreia do Norte E EUA em exibição nuclear
0

Coreia do Norte E EUA em exibição nuclear

0

Enquanto o mundo amenizava as ameaças do ditador King Jong Un, o Nação Brasil levantava a questão dos testes com armas nucleares que o líder da Coreia do Norte realizava à frente das câmeras para certeza de ter o mundo como plateia de seus intentos. Depois da resposta dos EUA contra o ataque químico na Síria as tensões se acirraram acentuadamente na península coreana, com especulações sobre uma possível ação militar dos norte americanos.

Coreia do Norte quer atacar
A mídia estatal da Coreia do Norte alertou para um ataque nuclear contra os Estados Unidos a qualquer sinal de uma ação militar preventiva do governo de Trump. A notícia circula enquanto um grupo de ataque da Marinha dos EUA, liderado por uma aeronave de propulsão nuclear, avançava em direção ao oeste do Pacífico.
O jornal oficial norte-coreano Rodong Sinmun disse que o país está preparado para responder a qualquer agressão dos EUA.
“Nosso revolucionário Exército forte está observando atentamente todos os passos de elementos inimigos, com nosso olhar nuclear focado nas bases invasoras dos EUA não apenas na Coreia do Sul e no teatro de operações do Pacífico, mas também no continente norte-americano”, afirmou.

EUA quer revidar
Em seu Twitter, o presidente Donal Trump foi enfático ao afirmar que o país irá agir sozinho contra o ditador.”A Coreia do Norte busca problemas. Se a China decidir ajudar, isso será genial. Se não, resolveremos o problema sem eles!”, escreveu.
Trump afirmou ter dito ao presidente chinês, Xi Jinping, que Pequim obteria um melhor acordo comercial com o país se ajudasse Washington a resolver o problema com os norte-coreanos. A estratégia norte-americana é estimular a China
a aumentar a pressão contra o programa nuclear norte-coreano.
“Expliquei ao presidente da China que o acordo comercial com os EUA será muito melhor para eles se os Estados Unidos eles resolverem o problema!”, afirmou Trump. A declaração é dada alguns dias depois de ter mantido um encontro com o colega chinês.

Rusgas e ameaças verbais à parte, o mundo pode estar prestes a viver uma nova grande guerra. Os EUA ao defenderam o povo da Síria levantaram questões contrária aos russos que tramam um revide contra os americanos. Com eles estão os terroristas e extremistas. A Coreia do Norte com seu louco, mas destemido ditador, desafia a maior potência do mundo para um embate com armas nucleares.

Comentários
-- Jornal Nação --