Home Brasil Consórcio considera 60% das obras do Aeroporto Tom Jobim concluídas

Consórcio considera 60% das obras do Aeroporto Tom Jobim concluídas

Consórcio considera 60% das obras do Aeroporto Tom Jobim concluídas

0

Com investimentos de R$ 2 bilhões, o Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, está com 60% das obras concluídas e em 30 de abril de 2016 estará tudo pronto e funcionando à altura dos melhores aeroportos do mundo, informou o grupo que administra o empreendimento, mediante concessão do governo federal.

“Teremos uma série de novas lojas, novos restaurantes, a infraestrutura toda renovada, principalmente, no terminal dois e no novo pier, que terá muito conforto, com 26 novas e refrigeradas pontes de embarque. Teremos elevadores com capacidade para 25 passageiros, único nos aeroportos brasileiros. Vai dar orgulho do Galeão”, declarou o presidente do consórcio RioGaleão, Luiz Rocha, ao destacar que o Tom Jobim é o primeiro aeroporto no pais autorizado a operar voos do maior avião comercial do mundo, o Airbus A-380.

Em fase de construção avançada, o Pier Sul aumentará a capacidade do aeroporto para ofertar 30 novos voos. Do terminal I ao novo Pier Sul, o passageiro terá que percorrer cerca de 600 metros por esteiras rolantes. Serão feitos 280 mil metros quadrados de pátio das aeronaves para aumentar a capacidade de embarque e desembarque das aeronaves.

Ao término da obra, a área dos terminais de passageiros terá  416 mil m2. No total, serão 27 novos elevadores, 15 novas escadas rolantes e 14 tapetes rolantes, 60 novas lojas e restaurantes, Duty Free com oito mil metros quadrados. Os passageiros também terão acesso a 86 novos pontos de wifi gratuito por 60 minutos e 12 fraldários. Há ainda a previsão de construção de sete mil metros quadrados de área VIP. O terminal I, que é o mais antigo, teve parte renovada e deve passar por mudanças nos próximos anos para ficar à altura do novo terminal II.

A sociedade do RioGaleão é formada pela Odebrecht Transport, a Changi Airports International – com 51%  da sociedade – e a Infraero – com 49%. Rocha afirmou que as investigações da Operação Lava Jato não interferem em nada nas obras, apesar de a Odebretch, uma das investigadas pela Polícia Federal, ser a responsável pelas obras do terminal.

“A empresa tem capital próprio e não temos nenhuma espécie de preocupação. Primeiro, porque os recursos estão garantidos para a conclusão das obras; segundo, porque como vocês podem testemunhar hoje aqui, temos mais de quatro mil operários trabalhando 24 horas por dia”, disse o presidente do consórcio.

O novo edifício garagem, conectado ao Terminal II, já está com os sete andares praticamente concluídos e vai ofertar 2,7 mil novas vagas de carros, com sistema indicador de vagas, a partir do final do ano.

Luiz Rocha também garantiu que o aeroporto está implantando novo sistema de segurança 24 horas que trarão tranquilidade durante as Olimpíadas. “Teremos novas câmeras, cercas, fechamento de todo o perímetro do aeroporto e com a presença dos órgãos públicos que são responsáveis pela segurança na cidade”.

A expectativa do consórcio do Tom Jobim é receber 1,5 milhão de passageiros durante o período dos Jogos de 2016. “Serão mais de dez mil atletas, 230 países, chefes de Estado, na verdade serão vários chefes de estado ao mesmo tempo”.

O valor da outorga da concessão foi de R$ 19 bilhões e 5% da receita bruta anual pagos ao longo dos 25 anos de operação, podendo ser ampliados por mais cinco anos. O programa de investimentos totaliza R$ 5,2 bilhões nos 25 anos da concessão. O consórcio RioGaleão está à frente da operação do aeroporto há um ano e convidou a imprensa para visitar as obras.

Comentários
-- Jornal Nação --