Home Política COM MANSÃO DE MILHÕES, CASAL DE POLÍTICOS RECEBEU R$ 550 MIL DE AUXÍLIO-MORADIA BANCADOS PELO POVO

COM MANSÃO DE MILHÕES, CASAL DE POLÍTICOS RECEBEU R$ 550 MIL DE AUXÍLIO-MORADIA BANCADOS PELO POVO
0

COM MANSÃO DE MILHÕES, CASAL DE POLÍTICOS RECEBEU R$ 550 MIL DE AUXÍLIO-MORADIA BANCADOS PELO POVO

0

Recebimento de benefício não é ilegal, mas revolta que nenhum parlamentar tenha levantado bandeira pelo fim da regalia

 

Por essas e outras atrocidades com o dinheiro público que o povo brasileiro não consegue acreditar na política, seus representantes e aceitar mais arrocho para a classe trabalhadora como a Reforma da Previdência.
Com tantos penduricalhos, os políticos no país esnobam milhões de brasileiros desempregados, os que figuram na linha da pobreza, sem expectativa de retorno ao mercado de trabalho e não se inteiram em planejar um contra-ataque a cooptação de nossos jovens para a criminalidade.
Famílias se perpetuam na política sem deixar nenhum marco de melhora a seus eleitores e só fazem acumular riquezas e benefícios pós mandato. Prova disso é o caso de um casal de parlamentares de Piauí Ciro Nogueira, senador e presidente do PP, e sua mulher, a deputada Iracema Portella (PP0PI) que receberam um total de R$555 mil de auxílio-moradia do Congresso, obviamente bancado pelos cofres públicos.
Dinheiro de brasileiro que não tem emboço nas paredes de sua moradia, que está lutando para que seu sonho de conquistar a casa própria não se transforme em pesadelo por conta das prestações atrasadas que coloca em risco sua residência por conta da lei da alienação fiduciária.
O casal possui uma mansão avaliada em R$2 milhões no Lago Sul, região nobre de Brasília que foi comprada em 2010.
E sem nenhuma vergonha, Ciro foi um dos 4 senadores que após um dia de empossado pediu para receber o benefício de R$ 5.500,00 oferecidos pelo Senado Federal.
Ciro Nogueira recebeu  R$ 448,7 mil de auxílio-moradia do Senado Federal de 2011 a 2019. A Câmara, por sua vez, pagou R$ 106,3 mil a Iracema. Ela é deputada desde 2011 e recebe o auxílio desde 2017. O valor é nominal, sem considerar o reajuste de inflação.Os demais pedintes foram Espiridião Amin (PP-SC), Mailza Gomes (PP-AC) e Omar Aziz (PSD-AM).

Até o dia 02 de fevereiro, dos 81 parlamentares da casa que tomaram posse, outros 19 já optaram por morar em um apartamento funcional. O benefício não pode ser acumulado com o auxílio em dinheiro. Somados, portanto, 23 senadores receberão algum benefício para custear sua habitação em Brasília, por enquanto.
No início do ano passado, 16 senadores recebiam auxílio-moradia e 51 habitavam apartamentos funcionais, ou seja, 67 parlamentares do Senado recebiam um dos dois benefícios.
Um estudo do Senado Federal indica que o Poder Legislativo gastou, em 2017, cerca de R$ 10,1 milhões com auxílio-moradia. É o gasto mais baixo entre os três poderes. No Executivo, o gasto chegou a R$ 330 milhões no mesmo ano.
Não há restrição formal ou ilegalidade em Iracema e Nogueira receberem o benefício do auxílio-moradia, mesmo tendo imóvel próprio. O valor, concedido por reembolso de aluguel ou espécie, está disponível para todos que não usufruam do apartamento funcional, tanto na Câmara quanto no Senado.

Inaceitável é saber que no meio de 81 senadores não há sequer um que levante a bandeira pelo fim da farra do dinheiro público usado para bancar regalias absurdas aos que deveriam ser tratados como simples servidores do povo.

 

Comentários