Home Brasil COM GASTO DE R$ 44,7 MILHÕES CICLOVIA TIM MAIA PODE SER DEMOLIDA

COM GASTO DE R$ 44,7 MILHÕES CICLOVIA TIM MAIA PODE SER DEMOLIDA
0

COM GASTO DE R$ 44,7 MILHÕES CICLOVIA TIM MAIA PODE SER DEMOLIDA

0

E o povo carioca pode decidir nos próximos meses se deseja ver o dinheiro de seus impostos ir por água a baixo, literalmente.
Dias depois de admitir a possibilidade de demolição da ciclovia Tim Maia, cujo trecho cedeu pela terceira vez na semana passada, o prefeito Marcelo Crivella agora diz que uma das hipóteses consideradas é a realização de um plebiscito para que a população decida sobre a continuidade ou não da estrutura.

Ontem enquanto acompanhava no Centro de Operações da Prefeitura os trabalhos em relação à chuva na cidade, Crivella deu uma entrevista à rádio CBN e comentou como essa questão vem sendo tratada internamente.
“Alguns (dentro da prefeitura) defendem plebiscito, que a população seja consultada. Outros defendem que façamos mais contenção de encostas na Avenida Niemeyer, para evitar deslizamentos. Essas duas hipóteses é que estão em jogo. A população é que vai ter a última palavra” afirmou o prefeito.

A ciclovia foi entregue à população em janeiro de 2016 na gestão do então prefeito Eduardo Paes e, em abril, foi responsável pela morte de duas pessoas quando desabou por conta de uma ressaca.
A obra custou R$44,7 milhões e na época era considerado “um projeto audacioso, idealizado pela Fundação Geo-Rio, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Obras, que tem tudo para se tornar o novo cartão-postal da cidade”.

DADOS TÉCNICOS
Ciclovia Tim Maia é uma ciclovia de 9,0 quilômetros de extensão, às margens do Oceano Atlântico, que liga o Leblon, na Zona Sul do Rio de Janeiro, à Barra da Tijuca, na Zona Oeste do município.[1] É formada por dois túneis, dois elevados e uma ponte, além de trechos em solo.

Parcialmente inaugurada em janeiro de 2016, seu nome é uma homenagem a Tim Maia, autor da canção “Do Leme ao Pontal”. O trecho coberto pela ciclovia era o único que faltava para que fosse possível fazer o percurso da Praia do Leme até a Praia do Pontal de bicicleta — um trajeto de 35 quilômetros.

Empresa que construiu ciclovia pertencia a família do então secretário de Turismo do Rio
A empreiteira Concremat, responsável pela construção da ciclovia Tim Maia, que desabou nesta quinta-feira, 21, no Rio, pertence à família do secretário de Turismo da cidade do Rio, Antônio Pedro Viegas Figueira de Mello. Ao menos duas pessoas morreram no desabamento de um trecho da ciclovia, inaugurada em janeiro deste ano

Em junho, dois meses depois da tragédia, o juiz Marcelo Oliveira da Silva, da 32ª vara Criminal da Capital, aceitou denúncia do Ministério Público contra 14 pessoas acusadas de contribuírem de alguma forma para a queda de um trecho da ciclovia Tim Maia. O acidente ocorreu no dia 21 de abril deixando dois mortos: Eduardo Marinho Albuquerque, de 54 anos, e Ronaldo Severino da Silva, de 60 anos.

HOMICÍDIO CULPOSO

Os acusados vão responder por homicídio culposo (sem intenção de matar). Em relação a um dos acusados — o coordenador técnico da Subsecretaria Municipal de Defesa Civil, Luís André Moreira Alves —, o magistrado acolheu parecer do MP e arquivou a denúncia contra ele por não ter prova de que o indiciado pudesse ter previsibilidade do acidente.

O magistrado negou ainda pedido do MP para suspender as funções e os registros profissionais dos réus. “Não há nos autos nenhum indício robusto de que a manutenção da atividade profissional dos acusados coloque em risco a ordem pública”, argumentou o juiz. Diante da ausência de denúncia em relação ao engenheiro Geraldo Moretti, um dos responsáveis pelo projeto executivo da ciclovia, o magistrado considerou que o acusado também deveria ser incluído e, por isso, encaminhou os autos para análise do Procurador Geral de Justiça, Marfan Martins Vieira.
E os engenheiros responsáveis pela obra não serão responsabilizados, ter seus registros cassados? Não, não terão!

Ganharam do dinheiro do povo e sairão ilesos sem quaisquer responsabilidades? Sim. já estão seguindo com suas vidas, normalmente…

Comentários