Home Família CERTEZA QUE VOCÊ SABE A HORA CERTA DE DISCUTIR A RELAÇÃO?

CERTEZA QUE VOCÊ SABE A HORA CERTA DE DISCUTIR A RELAÇÃO?
0

CERTEZA QUE VOCÊ SABE A HORA CERTA DE DISCUTIR A RELAÇÃO?

0

A utilidade de discutir a relação entre casais sempre gerou muita polêmica com pessoas que defendem que é necessário e outras que acham tudo muito desagradável. No conhecimento popular, as famosas DR’s sempre foram mecanismos usados mais pelas mulheres na solução de problemas comportamentais ou brigas. Já os homens por serem mais práticos, costumam, em sua grande maioria, optar pelo o adiamento ou até mesmo a fuga apresentando dificuldade para revelar seus sentimentos e ouvir as considerações da parceira.
Mas, independente das personalidades, todos os casais, em algum momento da vida, enfrentam crises, caem na rotina e sofrem mudanças com o tempo. Nos momentos de tensões em que tudo parece estar indo por água à baixo, surge a dúvida: discutir a relação é bom neste momento para ajudar a relação ou pode acabar com a convivência definitivamente?
Alguns sinais de que a relação precisa ser debatida é quando um começa a culpar o outro pelos problemas que estão tendo, passando a não reconhecer a sua participação no conflito, sem ceder, se apegando mais a sua posição e destruindo a relação. Isso leva o casal a evitar a interação, ao invés de tentar enfrentar o problema e resolvê-lo. Se seu casamento/relacionamento chegou a este ponto, não cometa o erro de desperdiçar um momento de DR sendo levada(o) pelos sentimentos.
A maior queixa e até motivo para as separações entre os casais, aparentemente, mais sólidos, é a falta de diálogo ou ruídos na comunicação.

Comunicação é uma arte
Em uma relação não existe a desculpa de que você é responsável somente pelo que fala e não pelo que o outro entende. Se você quer se dar bem com seu cônjuge para ter uma relação saudável precisa se comunicar decentemente.
Falar não serve para soltar tudo que vem a sua mente, serve para entender o que se passa com o outro. O segredo na maior parte das vezes não são as palavras, mas o jeito como elas são colocadas e o modo como você age enquanto fala ou escuta. O que a gente quer é encurtar o caminho para você se comunicar abertamente e, o mais importante, ser justo.

Não é uma disputa
Se o empenho de um dos dois for no sentido de provar que tem razão e não de restabelecer a cumplicidade e a harmonia, a DR vai azedar o clima ainda mais. Estabelecer uma guerra de egos só termina quando alguém decide ceder. E ceder não significa renunciar e sim calar. Um tempo afastados para esfriar a cabeça e colocar os pensamentos em ordem podem operar milagres.

Mature o problema
Um assunto pode levar vários dias sendo discutido por ser complexo, mas é fundamental dar o primeiro passo e ir resolvendo as coisas aos poucos. No dia seguinte, ambos podem pensar no que discutiram à noite e se prepararem melhor para conversarem de novo. É importante que os parceiros se lembrem que estão discordando no assunto em pauta, mas isso não significa o fim do relacionamento ou o fim do amor. Encarar as diferenças com sinceridade e coragem fortalece a relação. Conversas profundas levam a novos acordos.

Escolha um novo ambiente
Em muitos casos, o problema é doméstico. Então nada melhor que novos ares para um momento de entendimento. O melhor lugar para um casal estabelecer uma DR é onde haja privacidade para que os dois possam expor seus sentimentos, limites e maneiras de ver um problema sem interrupções indesejáveis.

Foque no assunto
Os conflitos devem ser debatidos sem deixar que ressentimentos se acumulem, pois quando forem conversar é preciso não estar no limite e acabar perdendo a razão, por misturar diferentes assuntos. Escolher dialogar sobre um assunto de cada vez pode ser a alternativa mais plausível para chegar a um consenso.

Seja tolerante
Durante a conversa você ouvirá opiniões que não concorda e sentirá vontade de convencer seu parceiro(a) de que ele está errado. Não imponha sua opinião! Coloque-se no lugar dele o máximo possível e entenda o ponto de vista de seu(a) amado (a). Se mesmo assim achar que é sua a razão, fale calmamente sua opinião sem mostrar necessidade de convencê-lo. A verdade sempre prevalece, é só esperar.

Não durmam brigados
Independente do resultado da DR é imprescindível que o casal não durma brigado. Mesmo que não haja uma definição na discussão, manter a calma e a harmonia serão fundamentais para a convivência. Um casal brigado está tão fraco quanto qualquer par separado. Portanto, que o tempo de afastamento seja consensual para que ambos repensem seus posicionamentos, sentimentos e ações.

Comentários
-- Jornal Nação --