Home Economia BRASILEIRO JÁ PAGOU MAIS DE R$20 BILHÕES NA CONTA DE LUZ COM AS BANDEIRAS TARIFÁRIAS

BRASILEIRO JÁ PAGOU MAIS DE R$20 BILHÕES NA CONTA DE LUZ COM AS BANDEIRAS TARIFÁRIAS
0

BRASILEIRO JÁ PAGOU MAIS DE R$20 BILHÕES NA CONTA DE LUZ COM AS BANDEIRAS TARIFÁRIAS

0

Entra ano, sai ano e tudo continua igual. Para uma energia mais barata, o brasileiro depende mesmo é de ajuda divina. Sem chuva, o trabalhador é penalizado pela seca nos reservatórios e vê a coisa ficar feia na sua conta de luz.
Desde que entrou em vigor, em janeiro de 2015, a bandeira tarifária, que aplica uma taxa extra nas contas de luz quando aumenta o custo de geração de energia no país, ficou na cor vermelha durante mais da metade do tempo.

Para poupar água das hidrelétricas, o governo aciona as termelétricas, que são usinas que geram energia mais cara, por meio da queima de combustíveis como óleo e gás natural. Quanto mais baixo o nível dos reservatórios, mais termelétricas são acionadas e cada vez mais caras.

R$ 20,8 bilhões pagos
De acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), os consumidores pagaram cerca de R$ 20,8 bilhões a mais nas contas de luz de janeiro de 2015 a agosto de 2017 (dado mais recente disponível) devido à cobrança da taxa extra das bandeiras.

Acostumados com taxação extra em sua conta de luz, a sociedade não consegue apresentar redução em seus índices de consumo. O que resulta em reservatórios secos, fornecimento de energia precária e ainda mais cara e milhões de brasileiros correndo o risco de novos apagões.
Se a opção de penalizar cobrando mais caro não resulta em economia, fica difícil acreditar que não haja nenhuma mente capaz de mudar a estratégia e começar a bonificar com descontos os consumidores que conseguirem reduzir a utilização de energia elétrica.

O pior é ver que os recursos arrecadados com esse nefasto mecanismo de bandeira tarifária estão sendo desviados. Nada se reverte para recuperação das nascentes, rios… que mantêm de pé nossa matriz energética (as hidrelétricas). Mais recursos para desvios.

Comentários