Home Brasil ARMADO COM A VERDADE, MORO FAZ QUESTÃO DE SER OUVIDO PELO SENADO

ARMADO COM A VERDADE, MORO FAZ QUESTÃO DE SER OUVIDO PELO SENADO
0

ARMADO COM A VERDADE, MORO FAZ QUESTÃO DE SER OUVIDO PELO SENADO

0

Quebrando a retórica da esquerda, o ministro da Justiça, Sergio Moro, não apenas irá responder questionamentos na CCJ do Senado como pedem os parlamentares como também está em últimos ajustes para comparecer,mesmo sem qualquer obrigação, à CCJ da Câmara.
Ele mesmo escreveu uma carta se colocando à disposição endereçada ao presidente da Casa,

Ardilosa, a esquerda tenta manchar o caráter de Moro plantando informações de que o ministro estava se recusando a dar explicações sobre os áudios roubados e vazados pelo The Intercept no último domingo. Moro prova sua ilibada reputação oferecendo-se por espontânea vontade atender os anseios dos que estão se utilizando deste golpe para libertar o criminoso e chefe da quadrilha petista.
Dallagnol defende imparcialidade da Lava Jato e diz que operação acusou políticos de diversos partidos
O procurador federal Deltan Dallagnol defendeu nesta segunda-feira (10) a imparcialidade da Lava Jato e disse que a operação acusou políticos e pessoas ligadas a diversos partidos.
No vídeo, Dallagnol diz ser natural a comunicação entre juízes e procuradores sem a presença da outra parte. Afirmou ainda que o Ministério Público Federal teve processos recusados – e que 54 pessoas denunciadas pelo MPF foram absolvidas por Moro. “A Lava Jato é contra a corrupção, seja de quem ela for”, afirmou.
“É normal que procuradores e advogados conversem com juízes sem a presença da outra parte. O que se deve verificar é se existiu conluio ou quebra da imparcialidade. A imparcialidade da Lava Jato é confirmada por muitos fatos. Centenas de pedidos feitos pelo Ministério Público foram negados pela Justiça. Cinquenta e quatro pessoas acusadas pelo Ministério Público foram absolvidas pelo [então] juiz federal Sérgio Moro. Nós recorremos centenas de vezes contra decisões, o que mostra não só que o juiz não acolheu o que o Ministério Público queria, mas mostra que o Ministério Público não se submeteu ao entendimento da Justiça. Some-se a tudo isso que todos os atos e decisões da Lava Jato são revisados por três instâncias independentes do Poder Judiciário, por vários julgadores”, disse Dallagnol em um trecho do vídeo.
Janaina paschoal denuncia hipocrisia
através de suas redes sociais, a deputada estadual pelo PSL de São Paulo, Janaina Paschoal, publicou sobre a desnecessidade da polêmica acerca das supostas conversas de WhatsApp vazadas do ministro Sérgio Moro e procuradores do MPF.
Janaina destacou os escândalos relacionados ao Supremo Tribunal Federal que não ganham a mesma atenção:
Em um país em que parentes de Ministros advogam nos Tribunais Superiores; em que a nata da advocacia criminal faz jantar homenagem ao Presidente da Corte que julgará suas causas; em que o magistrado da causa oferece jantar de aniversário para a parte, em que um ex-Ministro de Estado se refere a um Ministro do STF como ‘nosso advogado’ e ninguém se considera suspeito, DATA VENIA, parece piada querer fazer um carnaval por causa de três frases em um grupo de Whatsapp. Faz-me rir!”

 

A Lava Jato é sólida. A Operação tem base e os brasileiros apoia e agradecem o esforço desses homens pelo esforço em desnudar os usurpadores da nação.
A sociedade brasileira está atenta. Participativa nas questões políticas e sabe que esse novo momento do Brasil não seria assistido pela esquerda sem ataques.
Verdade que não se imaginaria que os inimigos da nação desceriam tão baixo para o retorno ao poder.

Avante lava jato, avante Moro, Avante Dallagnol. O Brasil está com vocês!

Comentários
-- Jornal Nação --