Home Política APÓS PRESSÃO POPULAR, PROJETO QUE NORMALIZA INCESTO E POLIGAMIA É RETIRADO DE PAUTA

APÓS PRESSÃO POPULAR, PROJETO QUE NORMALIZA INCESTO E POLIGAMIA É RETIRADO DE PAUTA
0

APÓS PRESSÃO POPULAR, PROJETO QUE NORMALIZA INCESTO E POLIGAMIA É RETIRADO DE PAUTA

0

O Projeto de Lei 3.369/2015 apresentado pelo deputado comunista Orlando Silva (PCdoB-SP) que propõe o reconhecimento de família – em seu distorcido ponto de vista como a família do Sec. XXI – como “todas as formas de união entre uma ou mais pessoas, que para este fim se constituam e que se baseiem no amor, na socioafetividade, independentemente de consanguinidade, gênero, orientação sexual, nacionalidade, credo ou raça, incluindo seus filhos ou pessoas que assim sejam consideradas”, recebeu parecer favorável do relator, Túlio Gadêlha (PDT-PE).

Porém, após pressão popular nas redes sociais, é retirado da pauta da Comissão de Direitos Humanos. Os autores informaram que vão “ajustar e reapresentar o texto”, porém contam com uma oposição conservadora atenta e pronta para derrubar esse tipo de projeto ao ser novamente apresentado para análise.

Seguindo o raciocínio lógico de Janaína Paschoal que se manifestou em sua conta no Twitter, caso o comunista não tenha realmente a intenção de legalizar a pedofilia, o casamento múltiplo e o incesto, há para ele duas alternativas;

1) O autor retirar o projeto, em razão de não ter sido sua intenção legalizar o incesto e os casamentos múltiplos;
2) O autor assumir que foi tal legalização que pretendeu, discutindo, às claras, o seu projeto. O debate é inerente à Democracia, afirma a deputada.

O autor retirou o projeto dizendo que vai ajustar, ora, então desistiu do INCESTO e POLIGAMIA? Pretende discutir abertamente o tema? Ou é só aguardar uma nova oportunidade para tentar enfiar pela goela abaixo da população?

JORNAL NAÇÃO BRASIL denuncia esse tipo de projeto, que é a principal pauta da esquerda, além de ser oposição ao Brasil, conforme reportagem abaixo.

NAMORADO DE FÁTIMA BERNARDES DEU PARECER FAVORÁVEL A LEGALIZAÇÃO DO INCESTO E CASAMENTOS MÚLTIPLOS

Comentários
-- Jornal Nação --