Home Economia AMIL PERDEU: SAIBA COMO VAI FICAR O PLANO DE SAÚDE PARA OS IDOSOS

AMIL PERDEU: SAIBA COMO VAI FICAR O PLANO DE SAÚDE PARA OS IDOSOS
0

AMIL PERDEU: SAIBA COMO VAI FICAR O PLANO DE SAÚDE PARA OS IDOSOS

0

Em meio a tantos reajustes, desvalorização do salário mínimo,inflação e escândalos de corrupção, o trabalhador brasileiro, principalmente os idosos e aposentados, têm motivo para comemorar.É que o reajuste dos convênios médicos de pessoas com mais 59 anos de idade será retirado do texto que altera a Lei dos Planos de Saúde (9.656/1998) que a Comissão Especial da Câmara dos Deputados deve votar hoje. Por encontrar resistência até entre as operadoras, o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), relator da proposta, disse que vai retirar do texto o aumento escalonado para idosos.

O reajuste dos convênios médicos de pessoas com mais 59 anos de idade será retirado do texto que altera a Lei dos Planos de Saúde (9.656/1998) que a Comissão Especial da Câmara dos Deputados deve votar hoje. Por encontrar resistência até entre as operadoras, o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), relator da proposta, disse que vai retirar do texto o aumento escalonado para idosos.

“Na Lei dos Planos de Saúde já consta que as gerações mais jovens paguem a mensalidade para que, quando a idade avançar, não tenha que pagar outra vez”, informa Paim. O senador acrescenta que “ao abrir a possibilidade de cobrança diferenciada, o relator – que é o mesmo da Reforma da Previdência – permitirá que os reajustes ultrapassem 100%. Ou seja, ficará inviável para o idoso pagar, com isso haverá abandono dos planos.” “No momento que a pessoa mais precisa, terá que pagar o dobro de mensalidade”, adverte.

AMIL PEDIU AUMENTO
Desde 2015, a Amil Assistência Médica Internacional, conseguiu no Supremo Tribunal de Justiça (STJ) o direito de aplicar reajustes por mudança de faixa etária em contratos de segurados idosos, contrariando jurisprudência divergente que havia na Corte, que proibia que os planos cobrassem valores diferenciados aos segurados por causa da idade.
O colegiado do STJ definiu que “os valores cobrados a título de mensalidade devem guardar proporção com o aumento da demanda dos serviços prestados”. O ministro João Otávio de Noronha, cujo voto foi favorável à medida, afirmou que não se está onerando uma pessoa pelo simples fato de ser idosa, e sim por demandar mais do serviço ofertado.

Quem vive muito, paga mais
À frente da Amil, o oftalmologista Claudio Lottenberg, 57, defende as novas regras para os planos, inclusive a que permite que idosos tenham, reajuste maiores nas mensalidades.
“Vivíamos 40 anos e agora passamos para 80, alguém precisa pagar essa conta”, afirmou Claudio.

Comentários